A Arte de Dizer Não

Há algum tempo, surgiu na lista do Projeto Deusas uma discussão sobre “dizer não”. A dificuldade para “dizer não” parece ser um problema comum para as mulheres. É compreensível; fomos ensinadas a ser “boazinhas” e a fazer tudo o que estiver ao nosso alcance, para agradar aos demais.

Nos foi incutida a noção de que nosso valor, o apreço por nossa pessoa, só é possível se nos esforçarmos por agradar, por ser complacentes e estar sempre disponíveis – para todo mundo, o tempo todo.

E dizer não, mesmo que seja de vez em quando, não parece ser uma boa forma de agradar às pessoas; mesmo que esse “não” esteja plenamente justificado.

A Arte de Dizer Não

O resultado disso é que a mulher se dessangra na tentativa de ser aceita, dizendo “sim” o tempo todo, por mais abusivo ou absurdo que seja o pedido.

E o pior de tudo, é que esse comportamento não dá o resultado esperado: quanto mais complacente a mulher se mostra, na esperança de ser aceita e valorizada, mais ela é desprezada, espezinhada e abusada pelas pessoas que a rodeiam.

Soa familiar? Você precisa aprender a dizer não.

Não é fácil aprender a dizer não, não é. Mas vou dar uma receitinha pra vocês. ;)

1 – Saiba o valor que você tem.

Uma das primeiras coisas que aprendi com minha mãe, e que nunca esqueci, é o seguinte: dar o valor exato às coisas, nem mais, nem menos. Isso deve ser aplicado à tudo, desde pessoas até objetos, e começa pelo valor que damos a nós mesmas.

Claro que isso requer auto-conhecimento, clareza, trabalho interno – mas para isso estamos aqui, não é? É necessário trabalhar sua auto-estima, e ter o ego sob contrôle. O objetivo não é se tornar uma mulher prepotente, arrogante, cheia de si, mas ser uma mulher que tem plena consciência do valor que tem, e de como merece ser tratada.

Esse trabalho interno deve ser constante; não é um curso que você faz durante um tempo e depois que recebe o diploma, acabou, pode ir dormir sobre os louros. É um trabalho que dura a vida toda.

2 – Estabeleça limites.

Sabendo o seu valor, e se conhecendo, você sabe até onde pode ir, que tanto pode oferecer de si em cada momento, e onde estão os limites que não devem ser ultrapassados.

Lembre sempre que você não é super-nada, não é mártir nem santa, então, tem o direito de dizer “não“, “não posso“, “não quero“, “não estou a fim“, “dessa vez não” e outras coisas assim.

E lembre-se de que ninguém tem o direito de lhe explorar. Mesmo que você tenha se deixado explorar até o dia de hoje.

Quando você resolver dizer “Chega”, quando você começar a dizer não, as pessoas ao seu redor vão reclamar. Elas estão acostumadas a obter de você tudo o que desejam, do jeito que desejam e no momento que desejam.

Elas vão tentar lhe chantagear, fazer sentir culpada, dar a entender que você está sendo má, com o objetivo de lhe convencer a continuar dizendo sempre sim. Não se deixe levar.

3 – Dê-se tempo para pensar.

Nem que sejam 10 minutos. Evite a pressa de responder, e não se deixe pressionar para dar uma resposta instantânea.

Dificilmente um pedido é tão urgente que seja necessário que você responda no mesmo segundo. Acostume-se a dizer “Me dê 10 minutos. Vou pensar e já lhe respondo“. E NÃO ACEITE que o outro se escandalize ou ofenda porque você não disse “sim” automaticamente. Você tem todo o direito de pensar, avaliar e refletir antes de aceitar alguma coisa.

Se ao cabo desses 10 minutos você não tiver certeza de qual deve ser sua resposta, avise: “Olha, eu ainda não consegui decidir, vou refletir um pouco mais e assim que tiver resposta eu aviso“. Quanto mais importante for a questão, mais tempo você deve se dar para refletir.

4 – Coloque as coisas em perspectiva.

Um bom truque é inverter os papéis: imagine que fosse ao contrário, que fosse você quem estivesse fazendo o pedido, e a outra pessoa estivesse no seu lugar e situação.

Você acharia certo fazer esse pedido, essa exigência? Se a resposta for negativa, se você acharia errado pedir isso, se acharia que está abusando do outro, pode dizer não a ele.

Porquê? Porque evidentemente há algo de errado aí. Uma relação saudável deve ser uma estrada de mão dupla. Se estaria errado você pedir isso ao outro, provavelmente está errado que peçam isso pra você.

Você merece tanto respeito e consideração quanto qualquer pessoa que esteja perto de você. Jamais permita que lhe convençam do contrário.

5 – Seja objetiva.

Pergunte-se:

- Eu quero dizer sim?
- Eu posso dizer sim? A que custo? O que isso vai me custar em tempo, esforço, energia, desgaste emocional, etc?
- O pedido é abusivo? É errado de alguma forma?
- Que justificativa OBJETIVA há para que eu diga sim? É algo realmente necessário, imprescindível, importante?
- Que justificativa emocional há para que eu diga sim? Desejo de agradar, medo de ser castigada ou receber retaliações caso eu diga não, hábito de dizer sim?

E por aí vai. Questione seus motivos, os motivos do outro, e seja tão objetiva e realista como puder. Procure deixar as emoções (principalmente a chantagem emocional) de fora da equação.

Um Trabalho Constante

É um monte de coisas a levar em conta? Sim. Dá trabalho, leva tempo? Sim.

Até que você se habitue com o método, e ele passa a ser quase automático; a partir daí, todos os pedidos passam por esse crivo de forma fluída, e as respostas surgem de forma intuitiva, sem tanta ginástica mental.

Se você praticar esses questionamentos, cairá em situações abusivas com muito menor frequência, e após um tempo os pedidos abusivos deixarão de chegar – depois que as pessoas perceberem que você já não se deixa abusar.

Claro que há pessoas sem noção que nunca vão perceber que você não aceita mais abusos, e pessoas que ainda não conhecem você, e tentarão abusar. Geralmente, são pessoas que costumam abusar e aproveitar-se de todas as pessoas que as rodeiam, sempre que têm oportunidade. Com certeza você conhece (ou ainda vai conhecer) pessoas assim.

Por isso é importante manter-se sempre alerta, ter essas coisas presentes o tempo todo – acostumar-se a que cada pedido de alguma coisa seja um disparador desse processo. (Estou falando de pedidos de um certo nível de seriedade, não do tipo “Me passe o saleiro, por favor“)

Dá trabalho, e é um trabalho que deve ser feito durante a vida toda. Mas acaba com 99% dos abusos que aceitamos.

Para quem está com preguiça ou acha ruim ter que fazer alguma coisa durante a vida toda, deixo uma frase que me ocorreu há pouco tempo (parafraseando uma frase famosa), e que é uma das coisas mais verdadeiras que já percebi na vida:

“O preço de qualquer coisa que valha realmente à pena, é a eterna vigilância.”

Imagem: Alice Popkorn - CC

© Deusario.com. Todos os direitos Reservados.
A cópia e reprodução não-autorizada deste texto está expressamente proibida.
Plágio é CRIME!

Nospheratt

Nospheratt é mulher por nascimento e vocação, irônica por diversão e hobby, brasileira inveterada, filósofa nas horas mais impróprias, blogueira de profissão, escritora e poeta pela pura necessidade de expressar seus oceanos interiores.
| Mais Nospheratt | Todos os textos escritos por

Receba atualizações por email!
Digite seu email:

tabs-top

71 Comentários em “A Arte de Dizer Não”

  1. Margareth says:

    Quer saber, nesse momento estou passando por isso… ser boazinha e me… meus ‘amigos’ se afastaram, deixaram de falar comigo… tudo porque resolvi dizer NAO! Como me sinto? terrível… mas é um exercício… me sinto só, sim. mas antes só que mau acompanhada… ‘amigos’ que ‘amigos’ exploradores! Mas um dia quem sabe? Agora estou alerta, a mim não exploram mais!!!!!

  2. Ivana says:

    O difício as vezes é dizer ñ pra nós mesmas! principalmente qdo envolve sentimento! MAS NUNCA É TARDE PRA SE APRENDER O QUE UM SIM OU NÃO POSSA REFLETIR COM CERTAS DECISÕES! MAS O IMPORTANTE DE TUDO ISSO É NOS VALORIZARMOS E ENFRENTAR AS CONSEQUENCIAS DE NOSSOS “sim” ou “não” AFINAL QUEM TEM O PODER DE ESCOLHER SOMOS NÓS MESMAS!

  3. Rocket says:

    O mais grave nas relações humanas é o individualismo que nos acerca.
    O tipico pensamento egoista:

    - Me agrade que eu te dou o que você quer
    - Vamos fale sobre mim, sobre você, a gente, o resto não importa.
    - Se eu recebo um não, eu faço o que quero até encontrar um sim.

    A felicidade, o prazer e a liberdade é para todos, não apenas para si e o resto que se exploda. É preciso respeitar o limite de cada um, e os valores culturais individuais.

    Amem-se e amarão os outros espontaneamente sem devoção e sacrifícios!

  4. francisca says:

    Necessito ler esta reporta reportagem de meia e meia hora para ver se consigo aprender esta liçao nao sei dizer nao pra muita gente inclusive os mais proximos e me desgasto muito, sou humilhada, baixa estima, choro mas ja me entreguei e ja me conhecem dai nao tenho mais autoridade para tal

  5. Jociane says:

    Gostei do texto, principalmente no fato de que tudo que fomos são aprendizagens que ocorrem em nossa vida. Muitas vezes essas “regras” são impostas de tal forma que nos impedem uma reflexão maior, uma decisão se quero ou não aceitar e cumprir aquilo.
    Acredito que dizer “sim” ou “não” nos remete a consequencias e não estamos preparados para pensar sobre isso.
    Para evoluir precisamos estar em constatnte transformações e isso inclui no seu próprio conhecimento.

  6. Glaucia Veneri says:

    Muito interessante, porém resaltando que como quase todos comentaram este post serve tanto para mulheres quanto para homens, e independente do sexo estas atutudes dependem da personalidade de cada pessoa, sendo as mais e as menos submissas!!!

    beijosss

  7. jessica says:

    Eu queria parabenizar a autora pelo artigo muito bom!!!
    Vou tentar segui-lo todo mundo que conheço abusa de min e estou cançada.É horade dar um basta

  8. SUSSU says:

    Mandou bem o Diego que achou tosca a matéria. Dizer sim ou não, saber dizer sim ou não, vai muito além do ato. Tem a ver com a personalidade e atitude perante a vida, que entendo deva ser de otimismo e segurança. E quem é seguro e otimista, diz sim com alegria e prazer. Mas valeu por esse forum.

  9. belinha says:

    ..

  10. belinha says:

    Fui casada muitos anos com um homem extremamente dominador e autoritário.Quando virei pó consegui ter coragem para me separar.Alguns anos depois conheci um homem maravilhoso mas que vivia,a anos,assim como eu,muito mal com sua companheira e que por isso tinha tantos casos fora do casamento,mas comigo era diferente.Ele me amava.Nosso envolvimento foi a minha salvação,ele era tudo de bom,me amou como nunca tinha sido amada antes e eu amei como nunca havia amado antes.Ele se separou e tudo entre nós ficou maravilhoso.Doce ilusão.Hoje estou vendo seu caráter,ou melhor,sua falta de caráter.Mesmo podendo me assumir ele usa todas as desculpas possíveis para continuar livre,principalmente a ex e os filhos,mãe,pai e tudo mais.Não deixa de me procurar e também de sumir quando convém.Quero dizer não e não consigo porque eu o amo.Na verdade nem sei se amo ou quero provar para todos que não sou uma perdedora,principalmente para sua ex,que diga-se de passagem não vale nada,mas sabe se fazer de vítima como ninguém.Estou confusa entre o que sinto,quero para mim e quero provar para os outros.Essa matéria foi a melhor que já li.Tenho que aprender a me valorizar e deixar que cada um siga seu caminho,independente do que pensem ou falem.Acho mesmo que o que me segura ao cafageste é não me sentir rejeitada e traída emocionalmente como me senti da primeira vez.Agora,depois que li essa matéria vou ficar treinando para quando ele chegar de mansinho eu tenha coragem para lhe dizer um sonoro NÃO .sei que existem muitos outros casos como o meu,trabalho em área de vendas,conheço muita gente que sofre também e sempre me pergunto porque o o safado ou safada sempre se saem melhor das relaçoes?Concordo que essa matéria serve para homens e mulheres,mas seja como for,que cada um aproveite ao máximo essas dicas.Parabens.

  11. Everton says:

    Muito bom o artigo. Na realidade como muitos disseram nos comentários acima, o “saber dizer não” não é um problema exclusivo feminino – alguns homens tmb enfrentam isso. Percebo q. vira e mexe me vejo dizendo sim pra situações q. não me acrescentam nada ou q. não queria estar presente, mas – no meu caso específico – vejo q a vontade de ser aceito aliado ao pavor da solidão sempre estão juntos nesses momentos do “sim” obrigado. Quando valorizo meu sabor original e impeço qualquer adulteração desse sabor o “não” sai mais fácil. É mais ou menos pensar que quando se compra um milk-shake mas que tem sabor de vitamina de mamão vc simplesmente cospe fora. Porque vc quer o milk-shake SABOR milk-shake. O motivo de ocorrer rejeição das pessoas q. só falam sim é q. não possuem um sabor definido. É sorvete de chuchu. Gosto de nada. Quando passam a dizer “não” começam a recuperar seu sabor e sua “freguesia” também. Claro q. nem todo mundo ama piña colada mas q. acha q a piña colada, se fosse uma pessoa, diria daqueles q. não a curtem? F***da-se. Faça o mesmo e tenha muitos fãs como a piña colada na balada…hehehe….Um abraço.

  12. NORMALUCIA MEDRADO says:

    Sou fã incondicional, tudo que li até hoje eu me identifico totalmente, parabens pela arte de escrever tão bem e nos ajudar no nosso dia a dia.

  13. Nicolas says:

    Não desvalorizando os outros posts, mas na minha humilde opnião, este sem sonbra de duvida é o melhor deste blog.
    Deusas Parabens, se a metade de população feminina pensasse desta forma o mundo estaria dominado pelas mulheres!
    bjOOO!

  14. Ivone says:

    me ajudou bastante ler o texto

  15. Gomilde says:

    Gostei do artigo, engraçado saber que esse é um conflito vividos por muitas pessoas. Passei por isso na minha infância, quando não possuia o senso crítico para dizer não e depois de muito tempo aprendi a dar um basta nisso. Realmente há uma exploração de uns sobre outros. O desejo de alguns se sobrepõe ao de outros por pura dominção. É incrível como quando você se deixa ser explorada e depois muda de comportamento e aprende a dizer não, você se torna uma pessoa má no ponto de vista dos exploradores. Essa mudança de comportamento realmente incomoda os exploradores. Porém, o lado bom dessa mudança, é que as pessoas começam a te respeitar. Elas irão pensar duas vezes antes de pensar em te explorar, pois saberão que você agora possui um poder de auto conhecimento e senso crítico capaz de refletir a importância do pedido em questão. Essa foi a minha experiência e acredito que é uma boa forma de ser valorizada, não apenas pelo fato de dizer “NÃO”, mas pela “REFLEXÃO” implícita que te levou a dizer “NÃO”.

  16. Vanuzia says:

    A dificil arte de dizer não para ser reconhecido cosutma ser traumatico, hoje depois de dizer inumeros “SIM”, percebo que o não no momento oportuno faz com que possamos realmente encontrar o reconhecimento que precisa antes de tudo começar em nós (falo de mim). A matéria é maravilhosa e em diversas frases pude me enxergar, e quando temos medo de falar o NÂO, matamos pouco a pouco a essência no nosso eu porque ficamos esperando a consideração, respeito e o valor que muitos desconhecem ainda que dizermos sempre SIM SIM SIM SIM…….
    Não é fácil mas é preciso saber DIZWE NÂO, NÃO E NÃO

  17. Olá, em primeiro lugar parabéns pelo blog, sempre que posso dou uma passada por aqui em busca de conteúdo interessante. Sobre o artigo, acredito que mesmo tendo consciência que nosso condicionamento a dizer SIM é um dos grandes responsáveis por boa parte de nossos sofrimentos, ainda assim é difícil mudar de uma hora para outra, o importante como foi colocado no texto é a eterna vigilãncia até que aos poucos essa mania do sim possa ser possa ser substituida pela do NÃO sem culpa que em um primeiro momento nos coloca em posições delicadas, mas quando tomamos gosto vira um vício saudável.

  18. Rejane says:

    Maravilhosos textos!!Gostei tanto, que
    estou levando este texto(entre outros que amei) para meu Blog :
    http://gentequeescreve.blogspot.com/

    Ele está com os devidos créditos juntamente com o link do seu Blog-caso você não concorde com o que fiz, deixe um aviso no comentário que retirarei imediatamente ok? Grata pela compreensão.
    Rejane

    P.S. Vou estar sempre por aqui.

  19. Paula says:

    o seu blog é ótimo, me sinto viajando pelo desconhecido,cada vez mais me sinto uma Deusa!

    meus pais desde quando eu me entendia por gente,me chamavam de bruxa e acredite eu sempre gostei de ser chamada de bruxa.

    tenho quatro livros das sombras, tou concluido o quinto.
    saudações a todos, a todas bruxas e bruxos

  20. nina says:

    Sabe estou realmente cansada de dizer sim pra tudo… fazer coisas q nem tenho vontade de fazer só pra agradar os outros. Ser usada sabe… as pessoas as vezes fazem/pedem as coisas sem pensar nas consequencias. Ser boazinha sempre é um saco e dá mta dor de kbeça. Espero conseguir amadurecer para usar o “não” nas horas certas…

  21. ivone ormandes says:

    gostei muito do texto, sempre fui boazinha dizendo sim para tudo e fazendo tudo para os outros e nunca tive reconhecimento, ao contrario so desprezo , as pessoas so me procuram quando precisam, me sinto usada, preciso mudar urgentemente chega de judiar de mim mesma. beijos

Trackbacks/Pingbacks

  1. O Erro | Groselha News - [...] #Recomendadíssimo post da Nosph no Deusario sobre A Arte de Dizer Não. [...]
  2. Deixe Morrer o Que Deve Morrer - [...] – principalmente nos casos em que temos que dizer “não” ou decepcionar [...]